Loop de Efeitos em Amplificadores para Guitarra

facebooktwitter

O Loop de Efeitos é um recurso muito valioso no mundo da guitarra. Mas você sabe exatamente como usá-lo? E quais os diferentes tipos de Loop de Efeitos? A Sollo Amps procura responder a essas importantes questões nesse post!

Loop de Efeitos

Pré e Power, as chaves para entender o “Loop de Efeitos”

Antes de tentarmos entender melhor o Loop de Efeitos, é importante você saber exatamente o que é o pré amp e o power.

O Pré-Amp – O estágio da “timbragem”

A função do pré-amp é aumentar a amplitude (o volume mesmo) de um sinal de áudio, preparando um sinal eletrônico que sai da guitarra para uma posterior amplificação ou processamento.

Cada pré-amp tem uma sonoridade característica, um timbre, e nesse sentido você vai encontrar várias diferenças entre cada um deles: limpos x distorcidos, vintage x modernos, vocação mais grave x vocação mais agudo… e por aí vai!

As funções principais de um pré-amp (além de aumentar a amplitude do sinal) são: distorcer (em alguns casos), equalizar e timbrar o sinal vindo da guitarra.

O Power – O estágio da “pancada”

O power transforma o sinal ainda fraco do pré-amp em um sinal forte o suficiente para gerar som no alto-falante. Ou seja, o power é o estágio de potência do amplificador, e quanto mais potente maior será o volume que o amp pode gerar.

O power também pode distorcer e timbrar, mas em geral faz isso com menos intensidade do que o pré-amp. Uma curiosidade: as distorções do pré e do power tem características diferentes. Os guitarristas que curtem uma pegada mais vintage costumam gostar mais da distorção gerada pelo power, enquanto quem curte uma pegada mais moderna costuma optar por uma distorção vinda do pré.

Entre Pré e Power, o Loop de Efeitos

Quando falamos de pedais de guitarra, eles podem ser utilizados em dois estágios diferentes: antes do pré ou entre o pré e o power. Mas para usar o pedal entre o pré e o power, o seu amplificador tem, necessariamente, que possuir um loop de efeitos. E essa, por sinal, é a função do loop: permitir aplicar efeitos depois do pré e antes do power.

Porque isso é tão importante? Ao conectar o pedal no loop de efeitos (depois do pré), o efeito é aplicado em um sinal já timbrado, distorcido e equalizado. Alguns efeitos só ficam bons se forem utilizados assim, e alguns outros efeitos soam diferentes se forem utilizados direto no input ou no loop de efeitos (vamos falar deles mais pra frente).

O importante é que o loop de efeitos te dá possibilidades!

Tipos de Loop de Efeitos

O loop de efeitos de um amp pode ser completamente diferente do loop de efeitos de outro, e é importante entender quais as principais características que criam essas diferenças. Vamos lá!?

Loop de Efeitos Em Série x Paralelo

  • Loop de Efeitos Em série: Nesse tipo de loop, o sinal é integralmente processado pelos efeitos conectados ao loop (se houver efeitos conectados ao loop) antes de voltar ao power. Isso ocorre porque o pré-amplificador é totalmente desconectado do power quando há algum efeito conectado ao loop.
  • Loop de Efeitos em Paralelo: Aqui o sinal é dividido: parte segue para a fase de potência e outra é processada pelos efeitos conectados ao loop. Resultado disso é mais versatilidade – já que a divisão do sinal pode trabalhar como um controle de mix.

Loop de Efeitos Ativos x Passivos

  • Loop de Efeitos Ativo: Sem perda de sinal. Esse loop também é chamado de buffered ou buferizado (porque contém um buffer). O loop ativo casa bem a impedância de saída do pré com a impedância de entrada do pedal.
    Outro ponto interessante é que o loop ativo também recupera as perdas sofridas pelo sinal ao passar por um circuito externo.
  • Loop de Efeitos Passivo: Pode ocasionar perda de sinal, principalmente nas frequências mais agudas (acontece mais se forem ligados muitos pedais no loop). Podem ser problemáticos porque alguns pedais devolvem um nível de sinal muito abaixo da saída do pré, e acabam atenuando demais a saída do amp.
    Esse tipo não “regenera” o sinal da guitarra, fazendo somente o casamento de impedâncias.

Dicas práticas sobre o Loop de Efeitos

Agora vamos ao que realmente interessa: como esse conhecimento pode ser útil na prática! Quais pedais usar no input? Quais usar no loop? Quais os tipos de loop? Vamos responder todas essas perguntas.

Loop de efeitos como saída de linha

O loop de efeitos pode ser utilizado como alternativa para saída de linha (ligando-se o SEND na entrada da interface de áudio ou na mesa de som).

ATENÇÃO: mesmo que seja utilizado dessa forma, a maioria dos amplificadores valvulados precisa que na sua saída seja ligado um alto-falante ou uma dummy load.

Loop de efeitos para usar pré de um amp e power de outro

O loop de efeitos permite que o pré-amp seja utilizado com outros powers (no caso de se desejar mais potência, por exemplo) ou que o power seja utilizado com outros prés (no caso de se buscar um timbre diferente).
Para fazer isso, basta conectar o SEND do amp que você quer utilizar o pré no RETURN do amp que você quer utilizar o power.

ATENÇÃO: o mesmo dito acima se aplica aqui. Vou até repetir para não ter erro: mesmo que seja utilizado apenas o pré do amp, a maioria dos amplificadores valvulados precisa que na sua saída seja ligado um alto-falante ou uma dummy load.

Pedais no loop x Pedais no input:

Quais pedais devem ser conectados no loop? E quais devem ser conectados no input?

  • Pedais que devem ser conectados no Loop de Efeitos – Principalmente quando falamos de timbre distorcidos, alguns pedais funcionam melhor depois das distorções.
    Pra dar alguns exemplos: os pedais de delay e reverb quando colocados antes de um amplificador de alto ganho acabam embolando muito o som. Por isso, delay e reverb sempre devem ser ligados no loop.
    Já alguns efeitos produzem características diferentes se forem utilizados no loop ou no input. É o caso de: chorus, phaser, flanger e boost. O boost, por exemplo, quando é utilizado em um amp que já esteja com timbre distorcido, gera um aumento da distorção se for utilizado no input e um aumento de volume se for utilizado no loop.
  • Pedais que devem ser conectados no Input – Como dito acima, alguns pedais podem ser ligados tanto no input quanto no loop, com resultados diferentes. São eles: chorus, phaser, flanger e boost.
    Existem ainda alguns pedais que devem ser ligados no input: distortion, overdrive, fuzz, compressor, wah wah, afinador e noise gate.

 

Gostou do post? Tem dúvidas, críticas ou comentários? Tem sugestões para os próximos tópicos? Não deixe de deixar sua participação!

6 pensamentos em “Loop de Efeitos em Amplificadores para Guitarra”

  1. Parabéns!!! Gostei bastante do post, achei a linguagem simples e com pitadas de informações técnicas. Tenho 2 pergunta e uma caso:
    A saída do pré (send) tem qual impedância em relação ao sinal entrada? Ex: IN – guitarra+tube screamer.
    Uso um ampli valvulado (TMiranda Rocket Man) e um penta Switch- uso algumas distorções na entrada do penta (Compressor sustaner – Booster – Over Drive – DS1 – Metal zone – Sabbra Cadabbra) Não juntos, a maioria com canal clean e o booster no canal drive do ampli. Depois pego o send do penta e mando para o imput do ampli e do send novamente para o penta switch e após esta entrada para uma CE20 Boss – Nux Mod Core – DD20 Boss. Meu problema é que quando uso qualquer um destes pedais o volume fica muito maior, como somente o Nux é true bypass, mesmo com o CE20 ou DD20 desligados quando chaveio para que o som passe por eles o volume sobe muito, mas muito mesmo e eles não possuem volume de saída, somente do efeito e não geral. Nem chego a tocar assim, pois tenho receio de fritar algum componente da potência.
    Não sei se consegui explicar bem e agradeço qualquer informação que me leve a uma solução.
    Já fiz um jumper entre o send e return do ampli e não há aumento de volume.

    Obrigado

  2. Gostei muito do post e tenho uma dúvida.
    Uso dois pedais, (DD20 e CE20) da Boss, no loop ativo em série de meu ampli valvulado , meu problema é que o som é amplificado quando passa por eles, como uso eles em dois canais de um switch quando não aciono fica tranquilo, porém quando passa pelo buffer de qualquer um deles o volume é muito amplificado, tornando inviável o uso desta forma. Uso os mesmos em -10db, mesmo assim fica muito alto o volume. Vc tem histórico deste tipo de situação?
    Obrigado.

  3. Como pode verificar no diagrama abaixo, o ES-8 vem equipado com oito loops audio analogicos com ligacoes para enviar e receber. Os loops 1-6 sao mono, enquanto os loops 7 e 8 podem ser utilizados com pedais stereo.

  4. Explicou exatamente o que eu queria saber, porque eu trabalho em uma loja de instrumentos e as vezes os clientes me perguntam coisas tipo essa, ainda bem que eu achei esse site, Obrigado SOLLO AMPS =D

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *