Amplificador Valvulado para Guitarra: Recursos – Parte 2

facebooktwitter

Entenda um pouco mais sobre os principais recursos dos amplificadores valvulados para guitarra, e quais mais se aplicam a você.

Line Out

Número de canais, loop de efeitos, reverb de mola, saída de linha, emulação de alto-falante, saída de fone de ouvido, boost de volume… É tanto recurso que é difícil entender tudo! O que são, na prática, cada um desses recursos? Quais são realmente importantes para você? Descubra aqui!

No último post: Número de Canais e Loop de Efeitos

No post da semana passada, falamos sobre a importância do número de canais e do loop de efeitos em amplificadores valvulados. Confira o post aqui: Amplificador Valvulado para Guitarra: Recursos – Parte 1.

Nesse post: Reverb de Mola, Saída de Linha e Emulação de Falante

Nessa série de posts, vamos tentar abordar os recursos mais importantes de um amplificador valvulado. No post de hoje, vamos falar do Reverb de Mola, da Saída de Linha e da Emulação de Falante.

Reverb de Mola

O reverb de mola serve para dar ao som do seu amplificador valvulado um efeito de ambiência (simulando o som reverberando nas paredes).

Um pedal de reverb de mola é grande e caro. Então se você gosta muito desse efeito, é interessante comprar um amp já com ele. Como opção existem também pedais de reverb menores e mais baratos do que os de mola: os digitais.

Há quem prefira o som do reverb digital e há quem prefira o som do reverb de mola. São definitivamente diferentes, e a preferência pelo som de um ou de outro é questão de gosto. Mas atenção: o reverb de mola às vezes embola o som da guitarra (dependendo do nível da distorção e do quanto a sua guitarra é grave/aguda) e muita gente acaba não usando.

Reverbs digitais geralmente oferecem mais opções de ajustes, que ajudam a adequar melhor o som do reverb ao som da sua guitarra.

Saída de Linha

A saída de linha permite que você faça gravações ou conecte o seu amplificador valvulado na mesa de som sem precisar microfoná-lo.

Saídas de linha são bastante práticas e podem ser muito úteis, mas é bom lembrar: geralmente microfonar uma caixa específica para guitarra resulta em um timbre mais bonito do que ligar uma saída de linha na mesa de som, pois um bom alto-falante também faz parte de um bom som de guitarra.

Outra dica bacana é: em amplificadores que tem loop de efeitos, o send geralmente pode ser usado como saída de linha. No entanto, é preciso ficar atento a dois pontos:

  1. Dependendo da impedância de saída do send e da impedância de entrada de onde você conecta o amp (mesa, interface de aúdio e etc), o sinal pode sofrer um pouco de degradação.
  2. Amplificadores valvulados geralmente precisam que um falante ou uma dummy load estejam conectados na sua saída para não queimarem, mesmo que você use o send como saída de linha.

Emulação de Falante

O timbre que você ouve saindo da caixa é resultado de 5 fatores principais: o guitarrista, a guitarra, o amplificador, os efeitos (pedais) e o alto-falante. Quando você usa uma saída de linha, você tem 4 desses fatores: guitarrista, guitarra, amplificador e os efeitos. Está faltando o alto-falante!

Para resolver esse problema, é preciso de um circuito ou tratamento digital para simular o efeito que o alto-falante tem no timbre, e essa é exatamente função do emulador de falante.

Se o seu amplificador valvulado tem saída de linha, ele pode ou não ter emulação de alto falante. Se tiver, você pode gravar o sinal direto da saída sem precisar editar depois, se não tiver, você vai precisar de algum programa no computador para fazer essa simulação.

Muitas vezes, a emulação pelo PC soa melhor e é mais versátil do que a emulação presente nos amplificadores. No entanto, modificar o sinal no PC traz o incômodo de uma etapa adicional no processo de edição da música (além de ter que achar o software que te atenda e aprender a usá-lo).

Confira a série completa de posts sobre Recursos em Amplificadores Valvulados!

Ainda tem mais… muito mais! Confira aqui a série completa de posts sobre recursos de amplificadores valvulados de guitarra:

 

Gostou do post? Tem dúvidas, críticas ou comentários? Tem sugestões para os próximos tópicos? Não deixe de deixar sua participação!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *